sábado, 27 de fevereiro de 2016

Governo do Estado e Emater-RN lançam Feira da Agricultura Familiar em Nova Cruz -

ASSECOM/EMATER
Coentro, alface, batata doce, manga, coco, cajá. Uma mistura de cores e aromas tomou conta do município de Nova Cruz, com a Feira da Agricultura Familiar, uma iniciativa do Governo do Estado, através da Emater-RN, em parceria com a prefeitura local, cujo lançamento ocorreu esta manhã, 25 de fevereiro.
Devidamente fardadas com camisetas e bonés, 20 famílias de agricultores apresentaram à população seus mais variados produtos em barracas padronizadas e equipadas com balanças de precisão. A estrutura se repetirá semanalmente às quintas-feiras, na rua 1º de Maio, ao lado da tradicional feira da cidade. Esta é a primeira de outras 20 feiras que serão realizadas em 20 municípios da região agreste potiguar, nas próximas semanas, e beneficiarão 300 famílias de agricultores.
“A feira vai melhorar muito a vida dos agricultores, que vão garantir mais renda às suas famílias. Mas a natureza vai agradecer também, porque vamos plantar mais e produzir mais”, explicou o presidente da Associação dos Trabalhadores Rurais de Lagoa da Serra, Severino dos Ramos, um dos participantes da Feira da Agricultura Familiar. “Aqui tudo é natural, sem veneno. Já estamos programando o que vamos vender na semana que vem”, completou.
Antes, seu Severino e tantos outros agricultores familiares quase sempre eram obrigados a vender sua produção a atravessadores, que compravam os itens pela metade do preço, para garantir o máximo de lucro na revenda.
Durante a solenidade de lançamento, o prefeito de Nova Cruz, Cid Arruda, afirmou que a feira será mais uma oportunidade para os produtores da região, que já participam de outros programas executados pela Emater, como o Garantia Safra e o Compra Direta. “Nossa ideia será expandir ainda mais a Feira da Agricultura Familiar em Nova Cruz”, disse o prefeito.
A iniciativa dinamizará a economia local com a geração de ocupação e renda para os pequenos produtores e pescadores, além de oferecer ao público produtos saudáveis, sem uso de agrotóxicos.
As Feiras da Agricultura Familiar são uma parceria do Governo do Estado com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), prefeituras municipais, sindicatos rurais, Banco do Nordeste, Terrasul e UFRN. Para tornar possível a ação, foram investidos R$ 305 mil, prodecentes do Programa de Apoio à Infraestrutura nos Territórios Rurais (Proind), do MDA. Foram entregues 300 barracas padronizadas, 100 balanças, 600 caixas para transporte de mercadorias e 100 bombonas plásticas.
O diretor geral da Emater-RN, Cesar Oliveira, adiantou que a Feira da Agricultura Familiar não tem o propósito de competir com a tradicional. “Cada uma mantém suas características próprias. Mas devemos lembrar que a maioria desses agricultores que aqui estão nunca tiveram essa oportunidade, de vender diretamente seus produtos. Vejo em cada um deles um olhar de esperança, com a possibilidade de iniciar um novo empreendimento familiar, trabalhando com planejamento. A Emater-RN garantirá a eles a assistência técnica necessária para que produzam mais e melhor, retirando da sua terra alimentos saudáveis”, disse Cesar Oliveira.
Segundo o gestor regional da Emater-RN em São José de Mipibu, extensionista rural Lucivaldo Vieira, a Feira da Agricultura Familiar vai incrementar a participação dos produtos da agricultura familiar e dos pescadores no mercado local, dar visibilidade e criar novas formas de comercialização, promover práticas de associativismo, ampliar a participação da produção em outros mercados interterritoriais e agregar valor à produção local evitando a ação de intermediários. Em breve, a Emater-RN conduzirá oficinas voltadas às práticas agroecológicas para capacitar ainda mais os produtores.
A data para as próximas feiras será divulgada em breve. Quem visitar as feiras agroecológicas, encontrará produtos “in natura” e manufaturados de origem animal (ovos) e vegetal, como hortaliças (coentro, cebolinha, alface, couve); raízes (beterraba, cenoura, cebola branca); frutas regionais frescas (coco, manga, caju, acerola, cajá, umbu). Também serão comercializados gêneros alimentícios derivados da mandioca, batata e macaxeira (bolos, beijus, doces), do leite (queijo e manteiga), entre outros.
FONTE,    /www.emater.rn.gov.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário