domingo, 24 de setembro de 2017

PT e PMDB negociam alianças em cinco Estados no Nordeste

Rompidos na esfera nacional desde o impeachment, partidos negociam acordos regionais para 2018

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo
24 Setembro 2017 | 03h00
BRASÍLIA - Rompidos no plano nacional desde o impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff, PT e PMDB já negociam alianças para as eleições de 2018 em pelo menos cinco dos nove Estados do Nordeste. A aproximação se dá por uma combinação de fatores. A força que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda tem na região atrai os peemedebistas, ao passo que o fato de o PMDB ser o partido com maior tempo de TV e ter o maior número de prefeituras do País é um atrativo para o PT.
O caso mais emblemático é o do Ceará. No Estado, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), vem conversando com o governador Camilo Santana (PT) para estarem juntos na mesma chapa em 2018. Pelas negociações, Eunício apoiaria a reeleição do petista. Em troca, o peemedebista garantiria para ele uma das duas vagas de senador na chapa de Santana. A outra vaga deve ir para o ex-ministro Cid Gomes (PDT), irmão do ex-ministro Ciro Gomes, pré-candidato a presidente da República.
ctv-plg-camilo-santana
O governador do Ceará, Camilo Santana Foto: Jose Cruz/Agência Brasil
Em 2014, Eunício e Santana foram adversários na disputa pelo governo do Estado. Em 2018, porém, quando precisa renovar o mandato, o peemedebista já deu declarações públicas de que pode apoiar Lula no Ceará. “O PMDB vai fazer coligações nos Estados livremente, com quem achar que é conveniente”, disse o senador em entrevista nesta semana. O próprio ex-presidente dá aval para a aliança. “Se der para fazer chapa Lula, Camilo, Cid e Eunício, topamos discutir”, admitiu o deputado José Guimarães (PT-CE), um dos mais próximos de Lula.
Outro Estado em que o PMDB quer o apoio do PT é Alagoas. Ambos candidatos à reeleição pelo PMDB, o governador Renan Filho e o pai dele, o senador Renan Calheiros, negociam para repetir em 2018 a aliança de 2014 com os petistas. Com base em pesquisas internas que mostram Lula na frente na corrida presidencial, o clã Calheiros quer subir no palanque presidencial do petista no Estado. Em agosto, deixaram isso claro, ao acompanharem a passagem de Lula pelo Estado durante a Caravana do Nordeste.
+ Lula se diz ser grato a Sarney e a Renan, que o 'ajudou a governar'
Em Sergipe, o PT negocia para apoiar a eleição para o governo do atual vice-governador, Belivaldo Chaga (PMDB). Em troca, terá uma das vagas ao Senado na chapa, para a qual deve indicar o ex-deputado Rogério Carvalho. “O Lula dá aval para essa aliança”, disse o deputado João Daniel (PT-SE). Segundo ele, aliança entre PT e PMDB no Estado é antiga e não sofreu abalos após o impeachment, pois a maioria do PMDB sergipano não apoiou a saída de Dilma.
No Piauí, o PMDB conversa com o governador Wellington Dias (PT), que tentará reeleição. A sigla quer indicar o candidato a vice na chapa do petista. O nome mais cotado hoje, segundo apurou o Estadão/Broadcast, é o do deputado Themístocles Filho, presidente da Assembleia Legislativa do Estado. 
Na Paraíba, a negociação entre PT e PMDB se dá de forma indireta. Líder do partido de Temer no Senado, Raimundo Lira tenta convencer a legenda a apoiar o candidato do PSB ao governo que será indicado pelo atual governador, Ricardo Coutinho (PSB). No Estado, o PSB tem o PT como aliado. Em troca, Lira, que precisa renovar o mandato, seria um dos candidatos ao Senado da chapa. “A aliança é regional. Se acontecer, o governador vai estar no palanque do Lula e eu no palanque presidencial que o PMDB apoiar”, disse o senador.
Lados opostos. No Rio Grande do Norte, a tendência do PMDB hoje para 2018 é se aliar a PDT e DEM para apoiar uma possível candidatura do prefeito de Natal, Carlos Eduardo (PDT), a governador. Lideranças peemedebistas não descartam, porém, uma aliança com o PT, caso a senadora petista Fátima Bezerra dispute o governo. 
Já no Maranhão, Pernambuco e Bahia, uma aliança entre PMDB e PT é tida hoje como impossível por lideranças das duas legendas. 
No Maranhão, o PMDB lançará a ex-governadora Roseana Sarney como adversária do atual governador, Flávio Dino (PCdoB). Na Bahia, peemedebistas devem apoiar a eleição do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), para o governo contra o atual governador, Rui Costa (PT). Em Pernambuco, PMDB e PT devem ter candidatos próprios ao governo.  fonte .estadao.com.br

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Rodrigo Janot denuncia Michel Temer ao STF.

É a segunda vez em que o presidente é acusado ao Supremo. Ele é acusado do crime de organização criminosa e obstrução de Justiça


O presidente Michel Temer, participa do lançamento do Programa Nacional do Voluntariado, no Palácio do Planalto, em Brasília – 28/07/2017 (Adriano Machado/Reuters)
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou nesta quinta-feira o presidente Michel Temer ao Supremo Tribunal Federal (STF) pela segunda vez. Temer é acusado dos crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça, ao lado dos ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria Geral da Presidência da República), os ex-ministros Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) e Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), o ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o ex-assessor presidencial Rodrigo Rocha Loures(PMDB-PR). Também foram acusados pelo crime de obstrução de Justiça o empresário Joesley Batista, dono do Grupo J&F, que controla a JBS, e o diretor de relações institucionais da empresa, Ricardo Saud, ambos delatores. Eles tiveram os benefícios da delação premiada suspensos pelo STF.
A denúncia, que tem 245 páginas, é baseada no conteúdos de depoimentos e gravações da delação premiada da JBS, nas revelações do doleiro Lúcio Bolonha Funaro em seu acordo de colaboração e no relatório do inquérito que investiga a existência de uma organização criminosa no chamado “PMDB da Câmara”.
No crime de organização criminosa, os peemedebistas são acusados por Janot de uma “miríade de delitos”, que teria rendido ao grupo 587.101.098 reais em propina paga por empresas que mantinham contratos com as estatais Petrobras, Furnas e Caixa Econômica Federal, além dos ministérios da Agricultura e da Integração Nacional, da Secretaria de Aviação Civil e a Câmara dos Deputados.
Segundo Janot, o presidente mantinha “alguma espécie de ascensão” sobre todos os outros membros do grupo. Enquanto foi presidente do PMDB e vice-presidente da República, conforme a denúncia apresentada ao STF, Temer combinava com Eduardo Cunha, Eliseu Padilha, Moreira Franco, Henrique Alves e Geddel Vieira Lima a ocupação de cargos na máquina federal e fazia as indicações do grupo aos governos do Partido dos Trabalhadores. “Michel Temer dava a necessária estabilidade e segurança ao aparato criminoso, figurando ao mesmo tempo como cúpula e alicerce da organização. O núcleo empresarial agia nesse pressuposto, de que poderia contar com a discrição e, principalmente, a orientação de Michel Temer”, afirma o procurador-geral da República, que ressalta a influência de Cunha e Alves, ex-presidentes da Câmara, assim como Temer,  junto a ele.
Janot entende que o “escudo” de peemedebistas em torno do presidente “fica claro” na relação dos demais denunciados com o empresariado da construção civil, “grande responsável pela produção de caixa dois de campanha e pelos pagamentos de propina a políticos e outros funcionários públicos”.
Com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e a chegada de Michel Temer ao Palácio do Planalto, em maio de 2016, sustenta a PGR, a suposta organização criminosa do PMDB da Câmara “continuou com suas atividades criminosas” e, uma vez que seu líder se tornou presidente da República, assumiu o protagonismo das negociatas que renderiam propina. A PGR cita como exemplo as conversas entre Michel Temer e Joesley Batista no Palácio da Alvorada, gravadas pelo empresário, e a indicação de Rodrigo Rocha Loures por Temer como interlocutor de Joesley no governo para resolver as demandas da empresa. O ex-assessor presidencial foi flagrado pela Polícia Federal recebendo uma mala com 500.000 reais do executivo Ricardo Saud. fonte,henriquebarbosa.com

Revista Veja Admite ‘Destempero’ De Moro Ao Ser Tachado De ‘Parcial’ Por Lula; CONFIRA AQUI!

Por Redação Click Política Última Atualização 14 set, 2017
 

O depoimento de duas horas de Lula ao juiz Sergio Moro terminou em discussão entre os dois. 

Lula acusou o magistrado de agir com parcialidade, e de ser refém da imprensa nacional.

“Não posso deixar de dizer que esses processos contra mim virassem vocês reféns da imprensa”, disparou Lula em suas considerações finais.

O advogado de Lula, Cristiano Zanin, diz que Moro, inclusive, cita reportagens jornalísticas.

“Vou chegar em casa amanhã almoçar com 8 netos e uma bisneta de 6 meses. 

Posso olhar na cara dos meus filhos e dizer que vim a Curitiba prestar depoimento a um juiz imparcial?”, diz Lula.

Moro responde irritado.

“Não cabe ao senhor perguntar isso a mim. Mas de todo modo sim”, disse.

Não foi o procedimento na outra ação”, rebateu Lula.

“Eu não vou discutir a outra ação com o senhor. 

A minha convicção é que o senhor foi culpado. 
Se fossemos discutir aqui, não seria bom para o senhor”, disse Moro.

Lula então, diz que tem que discutir sim. 

“Vou esperar que a justiça continue a fazer justiça nesse país”.

Moro interrompe, e encerra a gravação.

DA VEJA


domingo, 10 de setembro de 2017

Afonso Bezerra: MPRN quer que Executivo adote medidas para realinhar município à LRF

O prefeito da cidade de Afonso Bezerra, região Central do estado, Francisco das Chagas Felix Bertuleza, Chico Bertuleza, é mencionado diretamente numa Recomendação oriunda do Ministério Público do RN na referida comarca.

Protocolada sob o nº 2017/0000396464, a medida, legitimada pela promotora pública Juliana Alcoforado de Lucena, é consequência da Notícia de Fato nº 086.2017.000315.

A instrução do fiscal da lei ao chefe do Executivo é no sentido de que ele, enquanto gestor municipal, se abstenha dos seguintes procedimentos: conceder vantagem, aumento, reajuste ou adequação de remuneração a qualquer título, salvo os derivados de sentença judicial ou de determinação legal ou contratual, ressalvada a revisão prevista no inciso X do art. 37 da Constituição; criar cargo, emprego ou função; alterar estrutura de carreira que implique aumento de despesa; prover cargo público, admitir ou contratar pessoal a qualquer título, ressalvada a reposição decorrente de aposentadoria ou falecimento de servidores das áreas de educação, saúde e segurança; e, contratar hora extra, salvo no caso do disposto no inciso II do § 6º do art. 57 da Constituição e as situações previstas na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

No prazo de 30 dias, o prefeito afonso-bezerrernse deve remeter à Promotoria de Justiça cópia do cronograma das medidas que pretende adotar no sentido de reduzir gastos com pessoal no âmbito do Poder Executivo municipal, na forma do art. 23 da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Dentre as considerações que elencou, a agente do MPRN frisou que o município de Afonso Bezerra publicou Relatório de Gestão Fiscal (RGF) relativo ao primeiro semestre de 2017, conforme art. 63, inciso II, alínea “b”, atingindo o percentual de 58,85% da Receita Corrente Líquida (RCL) com gastos de pessoal.

Observou que, nos termos do art. 20, inciso III, alínea “b” da LRF, as despesas com pessoal do Poder Executivo municipal não poderá ultrapassar o limite máximo de até 54% da RCL.   fonte,  AngicosNotícias

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

NOVA CRUZ/RN Alpargatas fecha fábrica e encerra atividades no Rio Grande do Norte

Última unidade de produção funcionava em Nova Cruz, no interior, e tinha 375 funcionários.


Por Kleber Teixeira, Inter TV Cabugi
 


Caminhões retiram equipamentos desde a semana passada na Alpargatas (Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi)

A Alpargatas S.A. fechou a sua última fábrica no Rio Grande do Norte. A unidade de produção ficava na cidade de Nova Cruz, a 116 quilômetros de Natal, e tinha 375 funcionários contratados.
No dia do anúncio do fechamento do posto de costura, na quinta-feira (31), os funcionários trabalharam normalmente. No fim do expediente chegou o comunicado que surpreendeu as mais de 300 pessoas demitidas, a maioria de Nova Cruz. Desde o dia seguinte, eles assistem a caminhões entrarem e saírem do galpão onde trabalhavam, recolhendo equipamentos.
O operador de costura João Marcos Lima, há dezoito anos na empresa, disse que a cidade vai viver um drama na economia com o fim das atividades, por conta do dinheiro que vai deixar de circular.
Desde 2008 a empresa vem fechando unidades no Rio Grande do Norte, nas cidades de São Paulo do Potengi, Santo Antônio e Natal. A fábrica de Nova Cruz foi a quarta e última unidade de produção da Alpargatas que teve as atividades encerradas no estado.
As quatro fábricas fechadas deixaram de empregar cerca de três mil pessoas. Depois de vinte anos funcionando. O secretário geral do Sindicado dos Trabalhadores das Indústrias do Calçados do RN, Marcones Marinho da Silva, avalia que o Rio Grande do Norte está perdendo espaço para estados vizinhos, como Paraíba e Ceará, que têm atraídos empresas com benefícios fiscais.
A empresa divulgou uma nota em que explica o que motivou o fim da produção no estado potiguar. A Alpargatas esclarece que os maiores desafios são otimizar a produção e a falta de incentivos fiscais. A crise financeira também teria pesado na decisão de fechar o negócio.
O prefeito de Nova Cruz, Targino Pereira, disse que não foi avisado do fechamento, e que o Município não tem como dar incentivos ficais, porque não cobra imposto a Alpargatas. Segundo ele, recebe apenas uma taxa pela licença de funcionamento da fábrica no prédio que já foi cedido pela Prefeitura. FONTE, //g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Eleições 2018 “Se eu não puder ser candidato, a gente arruma alguém para ser”, diz Lula no Ceará

Em giro pelo Nordeste, petista chega ao Ceará e repete discurso do “nós contra eles”.

“Eles”, no caso, são a elite do país, ora Temer, ora a Lava Jato e, às vezes, a imprensa

caravana do Lula no Nordeste
Lula, durante ato em Mossoró (RN), na segunda. EFE
Quixadá (Ceará)
Em um palco improvisado montado em um posto de gasolina na beira da estrada, centenas de guarda-chuvas abrigavam do forte calor uma multidão à espera do ex-presidente Lula, nesta terça-feira. Os moradores de Quixeré (CE) foram até o posto para ver o pré-candidato do PT à eleição do ano que vem falar. Se possível, tirar uma selfie e dar um beijo no petista, que está na estrada há 13 dias, percorrendo o Nordeste em uma caravana. Rouco e um pouco abatido por uma gripe contraída no início da viagem, o ex-presidente subiu no palco, ia apenas acenar aos seus eleitores, para poupar a garganta. Mas não aguentou. Acostumado a discursos longos, acabou pegando o microfone. Foi breve, em todo caso. “Eu havia combinado com a minha equipe que só falaria hoje à noite, mas eu quero agradecer o carinho e a presença de todos vocês”, disse, sob aplausos.
Depois disso, seguiu viagem para a última cidade do dia, Quixadá, também no Ceará, onde realizou um ato no início da noite. Para uma multidão, Lula, com a voz um pouco melhor, falou sobre as eleições do próximo ano. “Faltam 14 meses para as eleições. A gente nem sabe se vai estar vivo [até lá]. A gente não sabe se vai poder ser candidato. Eu nem sei se o PT quer que eu seja candidato”, disse. “Mas se eu for candidato, vocês vão ganhar as eleições outra vez”.
As conversas sobre um possível impedimento à candidatura de Lula  – que foi condenado pelo juiz Sergio Moro no caso do triplex, e é réu em seis ações no âmbito da Lava Jato – rondam o Partido dos Trabalhadores, embora seus dirigentes não assumam publicamente. Coerente com o discurso de que “não há um plano B”, Lula tem se apresentado, durante a caravana, como o candidato único do PT. Mas na noite desta terça-feira, acabou deixando uma interrogação no ar. “Se eu não puder ser candidato, a gente vai arrumar alguém para ser”, disse.
A ideia da ausência de Lula na disputa eleitoral do ano que vem não é rejeitada somente pelo Partido dos Trabalhadores. Nas praças e calçadas, descendo do palanque, muitos de seus eleitores torcem o nariz quando esta possibilidade é mencionada. “Vai ser Lula sim, não tem jeito”, disse, em Quixadá, a aposentada Lindomar Rodrigues, 63. “Se não for ele o candidato, eu não voto em ninguém”, completou. De Currais Novos, no Rio Grande do Norte, a aposentada Maria das Neves, 61, disse o mesmo. “Voto em quem ele indicar, mas vai ser ele [o candidato]. Não tem chão nem gemido”.
Enquanto isso, no palco, já passaram alguns possíveis nomes para a disputa do ano que vem, caso Lula seja impedido de concorrer: o senador Lindbergh Farias e Gleisi Hoffmann, senadora e presidenta do PT, já estiveram com Lula em algum ponto da caravana. O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, que tem sido apontado como o plano B do partido, até o momento, não apareceu no giro pelo Nordeste. Ainda resta uma semana de caravana e dois Estados a serem percorridos, o Piauí e o Maranhão. Lula e uma comitiva grande de assessores, dirigentes e militantes estão na estrada há 13 dias e já percorreram sete Estados: Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará.
Pelas estradas por onde a caravana passa, os eleitores de Lula correm para ver o ex-presidente passar. Em muitos locais onde não estava programada uma parada, o ex-presidente acaba parando o comboio. Sai do ônibus, é agarrado, abraçado e beijado por centenas de pessoas, faz um pequeno discurso, e segue viagem.

Nós contra eles

Durante seus discursos pelas cidades por onde passa, Lula tem batido muito na tecla do nós contra eles. Sendo que eles, ora são a elite brasileira, ora o presidente Michel Temer, ora a Lava Jato e, às vezes, a imprensa também. “Eu sei que a perseguição que eu estou sendo hoje vitimado, não é uma perseguição ao Lula”, disse, em Currais Novos (RN). “Porque o Lula já tem idade suficiente, o Lula já apanhou demais, o Lula já aguenta um tanto. O que eles estão tentando é tirar do povo brasileiro as conquistas que nós tivemos nos últimos anos”, afirmou.
Em outro momento, aos gritos de fora Temer, o ex-presidente disse: "Eles derrubaram 54 milhões de votos da Dilma e ocuparam o poder", afirmou. "Enganaram a sociedade brasileira e a Globo tratou de mentir o tempo inteiro, dizendo que a Dilma era a responsável pela desgraça do PT e do Brasil. E eu pergunto: O Temer melhorou o quê?".
Outro ponto bastante lembrado tem sido o da educação. "Toda vez que eu falo que não tenho diploma, não pense que eu tenho orgulho de não ter diploma", disse, em Mossoró (RN). "Eu falo para provocar eles".
Em Quixadá, vestindo uma bata africana que ganhou de um dos alunos de Guiné Bissau que estudam na Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (Unilab), Lula disse: "Outro dia eu fui na universidade [a Unilab] e 67 meninos da África estavam se formando", contou. "Aí eu soube que tinha preconceito [ali] contra a molecada da África, e eu comecei a dizer pra eles 'vocês não devem nada ao Brasil. E o Brasil não está fazendo um favor, o Brasil está pagando [por] 300 anos de escravidão que nós devemos ao povo africano". A Unilab foi criada e inaugurada na gestão do petista e promove a integração entre o Brasil e outros países de língua portuguesa, especialmente os da África.
Longe das capitais do Sudeste, onde o ex-presidente tem o desprezo de grande parte dos eleitores, Lula colhe ovações e elogios com as paixões que suscita em alguns grupos. “Lula é o presidente da humanidade, não só do Brasil”, disse o estudante de pedagogia Samora Caetano, 23. Ele veio de Guiné Bissau, há três anos, para estudar na Unilab. “Ele pegou a população pobre e levou para a universidade. Lula nos representa”.FONTE,  https://brasil.elpais.com/

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Comissão debaterá necessidade de tornar permanente o Fundeb

A pedido das senadoras Fátima Bezerra, Lídice da Mata e com o apoio dos senadores Ângela Portela e Elmano Férrer, a Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo aprovou, nesta quarta-feira (30), a realização de audiências públicas, nas cinco regiões brasileiras, para debater a permanência do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação- FUNDEB. O primeiro debate já está programado para o próximo dia 12 de setembro, no Senado, e contará com a presença do ex-ministro da Educação Fernando Haddad, em cuja gestão foi instituído o Fundeb.
Em 2020, termina o prazo de vigência do Fundeb. Por isso, a senadora Lídice da Mata apresentou a PEC 24/2017, que torna permanente o FUNDEB. A proposta é relatada pela senadora Fátima Bezerra, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania.
Fátima destacou a importância da Comissão debater o tema. “Como pensar em desenvolvimento regional sustentável, com justiça social, se a gente não cuidar daquilo que é estruturante, essencial e básico, que é a educação do nosso povo; a educação das nossas crianças e jovens? Queremos fazer do Fundeb uma política permanente, além de aumentar a participação financeira do governo federal junto aos estados e municípios”, explicou. FONTE,  http://blog.tribunadonorte.com.br/heitorgregorio/

Ex-prefeita da Grande JP é multada em R$ 1,4 mi por desvios e gastos sem autorização

Também na sessão desta quarta, o TCE reprovou as contas dos Fundos de Assistência Social e de Saúde do Conde, também na gestão da ex-prefeita. Com isso, os ex-gestores dos fundos foram multados em R$ 36.997
Mais política | Em 30/08/17 às 14h59, atualizado em 30/08/17 às 15h09 | Por Redação
Reprodução/Correio Online 
 
Tatiana Corrêa
O Tribunal de Contas co Estado da Paraíba (TCE-PB) reprovou, nesta quarta-feira (30), as contas de 2013 da ex-prefeita do Conde, Tatiana Correa. Na decisão, o tribunal também impôs débito de R$ 1.414.332,87 por desvio de bens e serviços, gastos não autorizados, despesas e dispêndios financeiros não documentalmente comprovados. Cabe recurso da decisão.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

Também na sessão desta quarta, o TCE-PB reprovou as contas dos Fundos de Assistência Social e de Saúde do Conde, também na gestão da ex-prefeita. Com isso, os ex-gestores dos fundos foram multados em R$ 36.997.

Já a prefeita de Mangueira, Tânia Mangueira Nitão Inácio, teve as contas de 2015 reprovadas por não recolhimento de contribuições patronais ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Também cabe recurso.

Na sessão, também foram reprovadas as contas de 2015 do ex-prefeito de Areial, Cícero Pedro Meda de Almeida, a quem o TCE impôs o débito de R$ 18 mil decorrente do pagamento de subsídios ao então Chefe de Gabinete irregularmente ordenado durante o exercício.fonte; http://portalcorreio.com.br

'Ele dá várias versões', diz delegado sobre suspeito de matar padre na Paraíba

Delegado explica que adolescente tenta assumir sozinho a culpa pelo crime e isentar o ex-coroinha, que também é apontado como participante do assassinato
Polícia | Em 30/08/17 às 11h45, atualizado em 30/08/17 às 12h33 | Por Redação
Reprodução/TV Correio HD
Padre Pedro foi assassinado em Borborema  
A veracidade do depoimento do adolescente suspeito de ter participado do assassinato do padre Pedro Gomes Bezerra com 29 facadas ainda é apurada pela polícia. De acordo com o delegado Diógenes Fernandes, a polícia ainda não tem a certeza do que teria motivado o crime porque o adolescente detido dá várias versões. Nessa terça-feira (30), o adolescente prestou depoimento e confessou participação no assassinato do religioso, que ocorreu na última quinta-feira (24), na cidade de Borborema, no Brejo paraibano,

Leia também:

Ex-coroinha de 18 anos é procurado por participar da morte de padre na Paraíba

Jovem diz que matou padre com 29 facadas porque teria sido obrigado a fazer sexo
O delegado disse ao Portal Correio nesta quarta-feira (30) que, em um momento do depoimento, o adolescente tentou assumir sozinho a culpa pelo crime e isentar o ex-coroinha do padre, que também está sendo apontado como participante do assassinato. “Ainda não há uma certeza do que teria motivado o crime, por isso não descartamos nenhuma hipótese, mas a que parece ser a mais lógica é o assassinato foi planejado para roubar o suposto dinheiro que eles acreditavam existir no cofre da residência”, disse.

Leia mais Notícias no Portal Correio

Diógenes Fernandes disse ainda que as investigações seguem normalmente. Sobre os trabalhos para localizar o outro suspeito, o delegado revelou que a polícia vem trabalhando para prendê-lo.

Segundo Diógenes, alguns familiares do adolescente estão pedindo para que o jovem de 18 anos se entregue. Ele é suspeito de participar do crime e até esta quarta-feira (30) ainda não foi preso.

O padre Pedro foi morto com 29 facadas e a polícia disse que encontrou no local do crime bebidas e petiscos. O adolescente de 15 anos foi detido e teria dito em depoimento que matou o padre porque teria sido obrigado a fazer sexo com o padre, o que ainda é investigado pela polícia. Outro rapaz, de 18 anos, o ex-coroinha, é procurado como suspeito de participar do crime e pode ser preso a qualquer momento.  fonte:  http://portalcorreio.com.br/

domingo, 27 de agosto de 2017

Entrega de título de cidadão a Lula se transforma em comício na Capital

O petista chegou ao Ponto de Cem Réis, no centro de João Pessoa, acompanhando pelo governador Ricardo Coutinho (PSB) e da vice-governadora Lígia Feliciano
Mais política | Em 26/08/17 às 23h10, atualizado em 26/08/17 às 23h28 | Por André Gomes
André Gomes
lula 
A entrega do título de cidadão pessoense ao ex-residente Luís Inácio Lula da Silva acabou se transformando em um comício fora do período eleitoral. O petista chegou ao Ponto de Cem Réis, no centro de João Pessoa, acompanhando pelo governador Ricardo Coutinho (PSB), da vice-governadora Lígia Feliciano, dos senadores Lindbergh Farias (PT-RJ), Fátima Bezerra (PT-RN), além de deputados estaduais paraibanos.

Leia mais Política no Portal Correio

O primeiro ato foi a instalação da sessão solene da Câmara de João Pessoa feita pelo vereador Tibério Limeira (PSB) para entrega do título de cidadão. Logo após, o vereador Marcos Henriques (PT) fez a entrega lembrando que a propositura foi feita em 1997 pelo então vereador Júlio Rafael.

Lula agradeceu o título, mas o mote do discurso foi a Operação Lava Jato e a possibilidade de chegar a presidência da República nas eleições do próximo ano. “Não queria que esse título fosse destinado ao Lula, mas ao povo brasileiro porque sem ele não teria feito metade do que pude fazer quando presidente”, disse.

O ex-presidente fez também promessas durante o discurso. Disse que se chegar a Presidência da República vai desmanchar muita coisa feita pelo atual governo. “Eles estão vendendo o Brasil. Eu não sei o que eles estão tramando, mas terão que trabalhar muito. Eu não tenho para onde ir se não para o meu país governador com o povo brasileiro”, destacou.
Ainda no ato político, o ex-presidente Lula recebeu uma carta contendo reivindicações feitas pelos movimentos sociais paraibanos. O petista também recebeu homenagens de estudantes do IFPB de Cabedelo e de índios Tabajaras.

Antes do presidente discursar, o governador Ricardo Coutinho falou sobre a passagem de Lula pela Paraíba. O socialista se mostrou solidário a Lula em relação as investigações da Operação Lava Jato. Ricardo lembrou que neste domingo (27) o petista chegará em Campina Grande com água nas torneiras da população. “Eles tentaram impedir na Justiça, mas não conseguiram. Você (Lula) chegará em Campina com água nas torneiras”, afirmou.

Lava Jato - O petista disse que até prometeu não falar sobre a Operação Lava Jato durante as viagens. “Nessa viagem eu decidi que não iria falar da Lava Jato porque eu estou deixando para o Moro e os meus advogados discutir isso. Eu terei no dia 13 um novo depoimento em Curitiba e isso não vai parar”, disse.

E o ex-presidente continuou. “Essa gente já está há três anos com a Operação. Já prenderam governador, empresários e muitos foram presos de forma arbitrária. Eu defendo para todo mundo o que defendo para mim. Todo mundo é inocente até que se prove o contrário”, afirmou.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.fonte; http://portalcorreio.com.br

O povo apoia Lula porque a ficha caiu, diz Ricardo em entrevista à imprensa nacional

27/08/2017 | 14h45min

Aproveitando a passagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Paraíba, o Brasil 247, um dos portais de notícias mais acessado do País, fez uma entrevista exclusiva com o governador Ricardo Coutinho (PSB), que em Em 2016, teve uma atuação firme contra o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).
Na entrevista publicada pelo Brasil 247 neste domingo (27), Ricardo defende o ex-presidente Lula e diz que a “ficha caiu” da população brasileira. “A caravana está mostrando que a ficha caiu. E é por isso que em João Pessoa assistimos, numa noite de sábado como esta, a mobilização de milhares de pessoas que saíram de casa no fim de semana para lotar este lugar, um centro de comércio, onde os edifícios e ruas sempre ficam vazios, no fim de semana. O Brasil se descobre. Nessa situação a resistência que Lula demonstra é um fator muito importante”, pontuou o governador paraibano.

Ricardo Coutinho: povo apoia Lula porque a ficha caiu

Minutos antes de tomar a palavra no comício da noite de sábado (26), que lotou o Ponto dos Cem Réis, no centro de João Pessoa, o governador Ricardo Coutinho (PSB) deu uma entrevista ao Brasil 247. Duas vezes prefeito da capital, no segundo mandato como governador da Paraíba, Coutinho é um personagem estratégico na resistência.
Em 2016, teve uma atuação firme na denúncia do golpe sem crime de responsabilidade. Na semana passada, nos dias anteriores à chegada da caravana de Lula pelo Estado, no sábado, o governador travou e venceu uma luta política e simbólica para decretar o fim do racionamento d’água em Campina Grande, segunda maior cidade paraibana.
Com os reservatórios reforçados pela chegada das águas trazidas pela transposição do São Francisco, Coutinho assinou decreto que dava um fim a um transtorno que se tornara desnecessário na rotina das famílias da região, quando as torneiras secavam regularmente às terças e quintas. 
O problema é que, por decisão de uma juíza de   primeira instância, que alegou que o nível das águas não permitia a volta à normalidade, a decisão foi revogada. Mas Coutinho recorreu ao Tribunal, e, com apoio da área técnica, derrubou a decisão inicial.  Ponto para a caravana de Lula que, ao lado de Dilma, foi um dos responsáveis pela transposição do São Francisco, obra que chegou a ser cogitada pelo imperador Pedro II e só foi inaugurada em abril de 2017, numa festa que estudiosos da política paraibana definem como a maior mobilização popular da história do Estado.
Leia abaixo a entrevista concedida por Ricardo ao portal Brasil 247:
A ENTREVISTA
– Existia algum fundamento técnico na decisão judicial que tentava prorrogar o racionamento?
Nenhum. Tudo era um jogo político. O que se queria era impedir que a população tivesse acesso a um direito histórico, que é o acesso à agua.
– Mas se alega que o nível de água continua baixo…
– A rigor, nossa decisão foi prudente. Eu poderia ter encerrado o racionamento há um mês, quando fui autorizado pela área técnica, pelo DNOCS e pela Agencia Executiva das Águas do Estado. Mas resolvi aguardar para que houvesse uma nova melhora e os reservatórios saíssem do volume morto. 
– Mesmo assim o nível dos reservatórios se encontra em 8,2%…
– O importante é que o nível da água está subindo. Hoje está mais baixo do que no início do racionamento. Mas naquele momento o nível estava caindo. Agora está subindo. Essa é a diferença.   
– A mobilização em torno da caravana de Lula tornou-se um elemento importante da situação política do país. Qual o significado disso?
– A caravana está mostrando que a ficha caiu. E é por isso que em João Pessoa assistimos, numa noite de sábado como esta, a mobilização de milhares de pessoas que saíram de de casa no fim de semana para lotar este lugar, um centro de comércio, onde os edifícios e ruas sempre ficam vazios, no fim de semana. O Brasil se descobre. Nessa situação a resistência que Lula demonstra é um fator muito importante.
– Qual a importância de se defender a candidatura de Lula?
– Não se trata de defender uma candidatura de qualquer maneira. Como o próprio Lula tem dito e repetido, o problema é anterior e envolve uma questão jurídica. Antes de saber se ele será candidato ou não, é essencial reconhecer que não há nenhuma prova para que seja condenado. Este é o mais importante. Seus direitos estão sendo atingidos e isso é errado com qualquer pessoa, candidata ou não à presidência da República. Não há uma prova que poderia levar a uma condenação e impedir Lula gozar da liberdade que é um direito de qualquer pessoa. A situação seria muito diferente se surgisse uma prova concreta de responsabilidade num ato criminoso. Não há.
– Mesmo assim as pressões são grandes. Por que?
– Vivemos uma conjuntura muito mais complexa do que se poderia imaginar. Há uma desilusão, uma descrença, que é resultado da criminalização da política. Não estou falando de investigar e condenar quem pode e deve ser acusado. Mas da criminalização da própria atividade política. Depois de assistir à queda de uma presidente eleita, o povo vê que a corrupção não diminuiu enquanto o desemprego aumentou. Temos hoje em Brasília, governo que não tem o menor interesse pelas necessidades da maioria.  A capital federal, hoje, é uma cidade onde não há lugar para os trabalhadores, nem para os indígenas, ou para qualquer outro brasileiro necessitado.  Não há espaço para eles. Apenas para aqueles que querem fazer negócios. É sintomático que, numa crise como esta que o país está vivendo, seja possível discutir se é correto ou não cortar 10 reais do salário mínimo.
Paraíba já  fonte;  http://www.paraiba.com.br/

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

CANDIDATA AO SENADO? Dilma anuncia ida a Paraíba com Lula; SAIBA!


A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) deve acompanhar Lula (PT) na Paraíba em agenda que integra a Caravana pelo Nordeste do ex-presidente petista. A informação foi confirmada pelo presidente estadual do PT Jackson Macedo no início da tarde desta sexta-feira (25). A petista esteve acompanhando Lula durante visitas e atos públicos nesta manhã em Pernambuco.
“Está realmente quase fechado. Diria que tem grandes possibilidades dela vir acompanhar ele [na Paraíba] sim”, afirmou Macedo em contato com o Blog do Gordinho.
Lula vem a João Pessoa neste sábado (26), onde recebe o título de Cidadão Pessoense em ato público no Ponto de Cem Réis, no Centro da Capital. O ex-presidente ainda vai à Campina Grande no domingo (27). fonte, http://clickpolitica.com.br/

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Governo anuncia privatizações e inclui a Casa da Moeda

A lista dos projetos aprovada na terceira reunião do Programa de Parcerias de Investimentos inclui ainda a concessão de 14 aeroportos, como o de Congonhas
Por Da Redação

23 ago 2017, 19h08 - Publicado em 23 ago 2017, 16h46
Seção de crítica e análise de qualidade da Casa da Moeda, Santa Cruz, Rio de Janeiro, 06/08/2010
Seção de crítica e análise de qualidade da Casa da Moeda, 
Santa Cruz, Rio de Janeiro, 06/08/2010 (Selmy Yassuda/VEJA)
O governo decidiu privatizar a Casa da Moeda e o braço da Caixa Econômica Federal para loterias instantâneas (Lotex), além de colocar em leilão o aeroporto de Congonhas (SP) e uma série de outros projetos de infraestrutura que devem injetar nos cofres da União bilhões de reais entre este ano 
e o próximo.

Somente os leilões previstos para a área de logística, que incluem ainda terminais portuários e a desestatização da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), devem gerar receitas com outorgas ao governo de 8,5 bilhões de reais, disse o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, após a reunião do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), nesta quarta-feira.

Segundo o ministro, desse total, 6,39 bilhões de reais devem ser pagos à vista, incluindo os cerca de 5,6 bilhões de outorga de Congonhas, que pelos planos do governo deverá ser paga em uma única tranche.

A lista dos projetos aprovados na terceira reunião do PPI inclui ainda a concessão de outros 13 aeroportos, incluindo Recife (PE), além das rodovias BRs 153 (GO/TO) e 364 (RO/MT).

O total de investimentos estimados pelo PPI nos projetos aprovados nesta quarta-feira deve somar 44 bilhões de reais ao longo do prazo dos contratos. 

ApenasCongonhas deverá receber 1,8 bilhão de reais em investimentos ao longo do prazo do contrato, estimou Quintella.

A previsão do PPI é licitar os aeroportos no terceiro trimestre do ano que vem. 

No mesmo prazo, a ideia é concluir a venda das participações minoritárias da estatal Infraero nos aeroportos já concedidos de Guarulhos (SP), Brasília (DF), Confins (MF) e Galeão (RJ).

A venda dessas participações de 49% em cada aeroporto servirá para injetar “recursos importantes” no caixa da estatal, que sem Congonhas ficará sem seu principal gerador de recursos, disse Quintella.

“A abertura do capital da Infraero continua no radar do governo”, disse Quintella ao ser questionado se os novos projetos anunciados pelo PPI teriam tirado o interesse do governo em um eventual IPO (oferta pública inicial de ações) da estatal. 

Ele acrescentou que a empresa ainda terá 40 aeroportos sob seu comando, incluindo Santos Dumont (RJ), Manaus (AM) e Belém (PA).

O interesse do governo é leiloar Congonhas separadamente, e os demais aeroportos divididos em três blocos. 

O bloco do Nordeste incluirá os aeroportos de Recife (PE), Maceió (AL), João Pessoa (PB), Aracaju (SE), Juazeiro do Norte (CE) e Campina Grande (PB).

O bloco do Mato Grosso incluirá os terminais de Várzea Grande, Rondonópolis, Sinop, Barra do Garças e Alta Floresta. Um outro bloco reunirá os aeroportos de Vitória (ES) e Macaé (RJ).

Na área de energia elétrica, foram incluídas a concessão da usina hidrelétrica de Jaguara (MG), que deve ocorrer ainda no terceiro trimestre deste ano, além de 11 lotes de linhas de transmissão, que devem ser leiloados no quarto trimestre de 2017.

Na área de óleo e gás, a terceira reunião do PPI aprovou a terceira rodada de blocos no pré-sal, a ser realizada no quarto trimestre deste ano e a 15ª rodada de blocos para exploração e produção.

O PPI ainda prevê, para o ano que vem, a 4ª rodada do pré-sal, no segundo trimestre, e a 5ª rodada de campos terrestres maduros.
(Com Reuters)

terça-feira, 22 de agosto de 2017

LULA EM SERGIPE! “Não descansarei enquanto não recuperar a dignidade do povo brasileiro”

O quinto dia da caravana Lula Pelo Brasil chegou ao fim em um ato na cidade de Nossa Senhora da Glória, no sertão sergipano, onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi homenageado com o título de cidadão gloriense.
Durante o ato, Lula falou sobre a importância de viajar o Brasil e conhecer a realidade do povo brasileiro. “O político conhece no máximo os aeroportos dos lugares e não conhece o Brasil. Então eu queria ouvir o povo, olhar nos olhos e conversar, porque às vezes quem domina a informação é só uma TV que não mostra nada daqui”, disse o ex-presidente.
As políticas públicas que fizeram uma revolução na educação durante os governos de Lula e Dilma, como as 18 novas universidades, o acesso democrático ao ensino superior e a construção das 421 escolas técnicas – quatro vezes mais do que a elite fez em toda história do Brasil-, foram citadas pelo ex-presidente. “Antigamente, o jovem não conseguia pagar uma universidade privada e não passava na pública. Ficava em casa sem sonho, sem esperança”, completou.
Para ver as fotos do evento em alta resolução, acesse o Flickr do Instituto Lula.
Para Lula, o povo precisa de duas coisas fundamentais: alimentos para suprir suas necessidades e oportunidades. “Um ser humano não consegue crescer se não tiver esperança, e cabe ao Estado manter essa esperança”, acredita o ex-presidente.
Lula ressaltou também os avanços promovidos pelas políticas públicas dos governos petistas no campo. “A agricultura familiar emprega famílias inteiras, o latifundiário compra máquinas e faz a colheita com um único trabalhador. Quando eu cheguei na presidência, o dinheiro para o Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) era 5 Bi, e só 2 foram utilizados. E nós terminamos o governo Dilma com 30 Bi”.
Eletrobras
O ex-presidente criticou ainda a venda da Eletrobras pelo governo Michel Temer, anunciada no fim da tarde de hoje. “Soube que o golpista disse que vai privatizar a Eletrobras. Ele tem que tomar vergonha na cara e trabalhar, não isso”.
Ao final do ato, Lula explicou que já escolheu o seu lado e disse que governa para o povo. “Todo mundo no fundo sabe o que tem que fazer para governar uma cidade, um estado, um país. Mas tem gente que acha que o óbvio é governar só pra 35% da população, só para os latifundiários, só entre os mais ricos. O governante tem que governar para todo mundo, mas aqueles que precisam mais, são os que devem receber maior atenção. Eu não descansarei enquanto a gente não recuperar a dignidade do povo brasileiro”, encerrou Lula.
Nesta terça-feira, a caravana Lula Pelo Brasil segue pelas estradas de Sergipe. A próxima parada é Aracaju, onde Lula participará de um ato com movimentos sociais.fonte,  http://clickpolitica.com.br