terça-feira, 23 de abril de 2024

Três categorias estão em em greve no RN; Detran também pode parar

 


Após os policiais civis iniciarem a paralisação geral dos serviços, nesta terça-feira (23), o Rio Grande do Norte contabiliza mais um setor de serviço em greve. Além dos agentes de segurança, os servidores estaduais da saúde, professores e servidores técnico-administrativos da UFRN e IFRN também estão de braços cruzados.

O motivo em comum entre as categorias é o reajuste salarial. Os servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/RN) e da Administração Indireta (Sinai/RN) também ameaçam paralisar os serviços.

No total, o RN vive uma paralisação de serviços na educação, saúde e segurança. Nesta terça-feira (23), os servidores do Detran convocaram uma assembleia geral para a avaliação da Campanha Salarial 2024 e indicativo de greve. O Sindicato dos Servidores Públicos da Administração Indireta do RN (Sinai/RN) também convocou, para esta quarta-feira (24), um ato unificado do Fórum dos Servidores contra a política salarial de reajuste zero do Governo Estadual.

Nesta segunda-feira (22), os policiais civis decidiram iniciar uma paralisação geral por tempo indeterminado, em Assembleia Geral, e é em decorrência da insatisfação em relação ao tratamento que o Governo tem dado a categoria. As reinvidicações da categoria abrangem o plano de valorização salarial e a nomeação de 153 policiais formados em fevereiro deste ano.

Os servidores estaduais da saúde também iniciaram a greve no dia 3 de abril. A decisão foi tomada após negociações com o Governo do Estado para a recomposição e reajuste salarial de várias categorias. O Sindicato dos trabalhadores da saúde do Estado (Sindsaúde) afirmou, em nota divulgada na última quarta-feira (17), que a manutenção da greve acontece pela rejeição da categoria à proposta de reajuste salarial zero do Governo do Estado. Aliado a isso, os trabalhadores reivindicam melhores condições de trabalho, a convocação do cadastro de reserva, um novo concurso público e o abastecimento efetivo de insumos e medicamentos nos hospitais estaduais.

Na educação, servidores técnico-administrativos de universidades e institutos federais paralisaram os serviços. Além de reivindicar, inicialmente, uma recomposição salarial que varia de 22,71% a 34,32%, dependendo da categoria, os servidores pedem a reestruturação das carreiras da área técnico-administrativa e de docentes; a revogação de “todas as normas que prejudicam a educação federal aprovadas nos governos Temer e Bolsonaro”, bem como a recomposição do orçamento e o reajuste imediato dos auxílios e bolsas dos estudantes.

Além dos técnico-administrativos, os professores da UFRN também estão em greve. O sindicato reivindica o reajuste salarial linear para os servidores públicos federais de 7,06% em 2024, 7,06% em 2025, e 7,06% em 2026, totalizando 22,8%, e a reestruturação das carreiras do Magistério Superior e do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT).

fonte; Tribuna do Norte

Nenhum comentário:

POSTAGEM EM DESTAQUE

nova cruz/RN: prefeito Flavio Cesar Nogueira, e vereadores da situação aluisio sena, participa da marcha dos prefeitos...

  O prefeito de nova cruz/RN,  Flavio Cesar Nogueira , está em Brasília (DF) participando da Marcha dos Prefeitos, um evento anual que reúne...